Em 7 dias, PRF apura R$ 563 mil por ultrapassagens irregulares no Ceará

Multas por ultrapassagem vão pesar no bolso dos motoristas
(FOTO: NATASHA MOTA/AGÊNCIA DIÁRIO).
Mesmo com a sanção na lei que aumentou em até 900% os valores das multas para ultrapassagem irregulares, os motoristas cearenses seguem fazem manobras arriscadas. Em 7 dias, de 1º a 7 de novembro, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 570 infrações por ultrapassagens indevidas nas rodovias federais que cortam o Ceará, resultando em um apurado de R$ 563.127,60em multas.

Somente por ultrapassagens pelo acostamento, a PRF registrou 294 infrações nas BRs, além de flagras por avançar na contramão em faixas contínuas (246 casos),forçar passagem entre veículos na iminência de realizar ultrapassagem (18) e ultrapassar em pontes, curvas, viadutos, aclives e declives (12). Disputa de corridas e competições não foram registrados.

Quem foi flagrado ultrapassando pelo acostamento será obrigado a pagar uma multa de R$ 957,70, mesmo valor cobrado pelas manobras em faixas contínuas e em pontes. Já forçar passagem na iminência de uma ultrapassagem resulta em multa de R$ 1,915,40.

Órgão aumenta fiscalização


Com a nova legislação, a PRF intensificou a fiscalização nas rodovias, resultando em um aumento no número de infrações. Na semana anterior à implantação dos novos valores, dos dias 25 a 31 de outubro, apenas 270 infrações por ultrapassagem irregulares foram contabilizadas nas BRs que cortam o Estado, enquanto 570 foram registradas de 1º a 7 de novembro.

O órgão salienta que uma queda das infrações só deve acontecer após o envio das primeiras multas às casas do motoristas, em dezembro. "A maioria dos condutores são ordeiros, mas há um número considerável de infratores. Esses a gente vai levar um tempo para alcançar, pois eles acreditam na impunidade", salienta o coordenador de comunicação da PRF, Alexsandro Batista.

O policial rodoviário acrescenta que a penalização busca regular a cultura dos motoristas. "Se houvesse uma autodisciplina, não haveria necessidade dessa penalização. É lamentável que a gente não consiga disciplinar o condutor apenas com métodos educacionais. Por isso, buscamos uma medida coercitiva de fiscalização", afirma.

Apurado das multas deve ser aplicado nas estradas

Conforme Alexsandro, o dinheiro apurado com as multas não ficam nos cofres da PRF, sendo direcionados à União. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no entanto, garante que os valores sejam investidos para melhorar o serviço nas estradas. "Existe uma previsão no CTB no qual toda receita proveniente dessas multas devem ser empregas na sinalização e educação no trânsito", finaliza o coordenador.



Fonte: Diário do Nordeste