ARMAMENTO DE GUERRA: Quadrilha é presa com fuzis após fazer reféns em Russas

Armas apreendidas, fuzis AK 47 e 556, de origem egípcia e americana, são utilizadas em guerras, de acordo com informações da Polícia (FOTO: KID JÚNIOR)
Cinco homens presos e vasto armamento e munição de grosso calibre apreendido, avaliado em aproximadamente R$ 500 mil. Este foi o saldo, divulgado ontem, da operação policial desencadeada após tentativa de ataque a um carro forte na BR-116 ocorrida na noite da última quarta-feira (14) em Russas, a 165 quilômetros de Fortaleza.

Conforme a Polícia, o grupo foi preso após invadir um sítio e fazer três pessoas de reféns dentro de uma casa. Houve tiroteio e dois dos suspeitos foram baleados. Após seis horas de negociações, os criminosos se renderam. Os reféns foram liberados sem ferimentos. O armamento apreendido, segundo a Polícia, é similar ao utilizado em guerras.

Na sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), estiveram o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Raphael Vilarinho; o adjunto da Especializada, Diego Barreto; o comandante do Comando de Policiamento do Interior (CPI) Norte, coronel Júlio Aquino; e o inspetor chefe da 3ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Alisson Mesquita. Eles apresentaram o material apreendido e forneceram detalhes da operação conjunta.

Vilarinho destacou que o grupo já é conhecido da Polícia como a 'Quadrilha dos Pipocas". Segundo o delegado, eles são suspeitos de cometerem crimes no Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Pará e Mato Grosso. Ainda conforme o titular da DRF, o grupo é formado por empresários que possuem, por exemplo, posto de combustíveis, madeireira, dentre outros.

Tiroteio

Na tarde de quarta-feira, o grupo formado por cerca de oito a dez homens armados, atacou um comboio composto por três carros fortes que trafegava na rodovia BR-116, no quilômetro 20, em Russas, com destino a Fortaleza. Os veículos, de uma empresa privada de transporte de valores, levavam dinheiro que fora recolhido de agências bancárias nas cidades de Limoeiro do Norte, São João do Jaguaribe e Russas.

No momento da ataque, a quadrilha recebeu resistência por parte dos seguranças da empresa de transporte de valores e não conseguiu consumar o assalto. "Os vigilantes perceberam a aproximação dos bandidos. Quando os criminosos atiraram, os seguranças revidaram e acionaram a PRF. Um dos bandidos foi baleado e eles se viram obrigados a fugir", afirmou o delegado.

Na fuga, o grupo se escondeu em um sítio, localizado a cerca de oito quilômetros do local da tentativa de assalto. De acordo com o coronel Júlio Aquino, a movimentação no local chamou a atenção dos policiais.

"Nossas patrulhas foram divididas e uma visualizou uma casa fechada, por volta de 16h30, mas com os animais do lado de fora, soltos. Isso causou estranhamento. Ao descer para averiguar, a composição foi recebida a bala", lembrou o oficial.

Na residência, dois homens e uma mulher foram postos sob a mira das armas. "Os suspeitos estavam nervosos e ameaçaram matar os reféns. Informamos que ali poderia resultar em algo desastroso. Eles pediram a presença de uma parente e um advogado e, com a chegada dos dois, se renderam", afirmou.

Na casa, foram presos Elineudo Oliveira Silva, o 'Neudo Pipoca', 41, que já havia sido preso em 2010 pela Polícia Federal pela prática de crimes contra instituições financeiras; Antônio Ricardo Germano de Lima, o 'Ricardo da Vila Rica', 29, que já responde por roubo; além de Paulo Sérgio de Oliveira, 31, e Ângelo Márcio Rodrigues, 36. Estes dois últimos, feridos, foram conduzidos ao Instituto Doutor José Frota (IJF), na Capital.

Em poder do grupo, foram apreendidos três fuzis AK-47; dois fuzis calibre 556; uma espingarda calibre 28; três pistolas ponto 40; 17 carregadores de fuzil; cinco carregadores de pistola; 473 munições intactas de diversos calibres, balaclava, e cerca de 20 quilos de explosivos.

Já na manhã de ontem foi preso Raimundo Nonato Rodrigues da Silva, o 'Raimundo da Vertente', 32, que já responde por roubo. Segundo a Polícia, a quadrilha seria composta por "cerca de 30 a 40 pessoas". Da última ação, haveria pelo menos outros três foragidos. "As diligências continuam", afirmou Aquino.

Homenagem

Ao fim da coletiva, os policiais prestaram homenagem ao soldado Samuel Rodrigues Tabosa, morto na quarta-feira, a quem ofereceram o trabalho feito.


Fonte: Diário do Nordeste
Levi de Freitas/ Repórter