NESTA MADRUGADA: Funceme registra chuva em 130 municípios cearenses

Segundo o metereologista da Funceme, Leandro Valente, as chuvas devem continuar ao longo do dia e na terça-feira, 24, e quarta-feira, 25
Embora as análises apontem 50% de chances de chuvas abaixo da média até maio, no Ceará, choveu em 130 municípios cearenses, na madrugada desta segunda-feira, 23, segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O município de Independência foi o com o maior registro de precipitação (72.5 mm), de 7 horas do último domingo, 22, até as 7 horas desta segunda-feira, 23.

Em Fortaleza, a fundação indicou um registro de chuva de 42 mm no posto da Água Fria. Os outros municípios com maior precipitação da madrugada foram Ipaporanga (66 mm), Orós (62.6 mm), Independência (60 mm), Pacatuba (57 mm) e Deputado Irapuan Pinheiro (55 mm).Segundo a Funceme, o Ceará deverá ficar com céu nublado e com chuvas no centro-norte, durante esta segunda-feira, 23. No sul do estado, a previsão e de nebulosidade variável com chuvas isoladas. Entre a tarde e a noite, há possibilidade de chuvas em todas as regiões cearenses.

Prognóstico
Entre os meses de março e maio, a probabilidade de o Ceará ter chuvas abaixo da média histórica é de 50%, conforme a Funceme divulgou na ultima semana. As chuvas desta madrugada são resultado do fenômeno Vórtice Ciclônico de Altos Níveis - que acontece em janeiro e fevereiro.

Segundo o metereologista da Funceme, Leandro Valente, as chuvas devem continuar ao longo do dia e na terça-feira, 24, e quarta-feira, 25. "O vórtice deve rearear nas próximas semanas, mas estamos no período mais chuvoso do ano e o Ceará fica sujeito a períodos extremos de precipitações. A previsão de 50% de chances de chuvas abaixo da média até maio não quer dizer que não vai chover", completa.

O prognóstico aponta 35% de chances de as precipitações ficarem em torno da média e apenas 15% de o Estado ter chuvas acima da média no período. O último trimestre da quadra chuvosa tem média histórica de 480,2 mm.


Redação O POVO Online