NA SEMANA SANTA: Quilo do pescado pode subir até 35%

Aumento do combustível é um dos fatores que pode encarecer o produto na Capital
FOTO: FABIANE DE PAULA
O preço do quilo do pescado deve subir de 30% a 35%, para o feriado da Semana Santa, em Fortaleza. Um dos motivos é o costumeiro aumento da demanda inerente ao período. O outro é o reajuste sobre o combustível, aplicado pelo governo federal nas últimas semanas, que encarece o processo de transporte dos peixes até a Capital e o direcionamento das embarcações até os pontos de pesca.

Atualmente tabelados com preços variando de R$ 22 a R$ 25 por quilo, os peixes mais procurados durante a Semana Santa, como a Cioba, a Cavala, a Guaiuba e o Ariacó, custarão, em média, de R$ 28 a R$ 30, nos dias que antecedem o feriado, dependendo do box em que forem negociados.

Para Antônio Pereira de Matos, permissionário do Mercado dos Peixes do Mucuripe e representante dos vendedores, o impacto relacionado às novas taxas aplicadas sobre a gasolina e o diesel é diretamente repassado aos consumidores locais.

"É impossível de evitar esse aumento. Não existem empresas de pescado em Fortaleza e a mercadoria tem que vir de outras cidades, como Camocim ou Aracati. Além disso, a distância que os barcos viajam e o período das expedições são muito grande, os pescadores precisam comprar uma quantidade certa para todo esse tempo no mar", diz.

Seu Antônio também comenta que alguns comerciantes estão estocando peixes congelados há quase 30 dias para não elevarem tanto o preço do pescado quando chegar a Semana Santa. No entanto, o comerciante alerta que as pessoas que deixarem as compras do feriado para a última hora poderão receber um produto fora da qualidade esperada. "O consumidor poderá até encontrar peixes sendo vendidos com o preço de hoje, mas ele vai perder em qualidade já que essa mercadoria vai estar congelada há bastante tempo e não vai estar fresco", afirma.

Defeso

Outro fator que pode pesar no bolso do consumidor é o período de defeso da lagosta e do pargo, que deve diminuir a quantidade de mercadoria ofertada. "Todo mundo reclama dos preços, mas a procura cresce muito nesse período, enquanto que a quantidade de peixes é a mesma ou pouco menor por conta do defeso. Não tem como segurar os preços", explica Francisco Benedito Carlos, permissionário do box 27. Segundo o vendedor, a demanda por peixes pode aumentar de 70% a 100%, no período da Semana Santa.

Estratégia

Para fugir dos preços elevados, que devem começar a aparecer no começo da próxima semana, o funcionário público Lúcio Sérgio já planeja adquirir o pescado antecipadamente. "Como eu compro o peixe todo ano vou ter que comprar um pouco antes do feriado, mas, por enquanto, eu estou achando os preços bem estáveis", conta Lúcio.

Saiba mais

Preços encontrados (R$):

Cavala: 22
Cioba: 22
Ariacó: 22
Guaiuba: 22
Sirigado: 25
Robalo: 25
Arabaiana 25
Garoupa: 25


Fonte: Diário do Nordeste