BARBALHA-CE: PAU DA BANDEIRA ATINGE UM DOS CARREGADORES, QUE MORRE EM PLENO CORTEJO

Foto: Elizangela Santos/DN
Um dos carregadores do pau da bandeira teve sua cabeça esmagada, no começo da noite de ontem, por volta das 18 horas, pouco antes do mastro de Santo Antônio, de Barbalha, chegar de frente à Matriz, onde foi erguido. O tronco de angico de 3 toneladas ao ser largado ao chão, atingiu a cabeça de um dos organizadores do cortejo, Cícero Ricardo, de 39 anos. 

A vítima era conhecida por ‘Careca’. Ele residia no Alto da Alegria, onde o corpo será velado nesta segunda-feira. O cortejo começou quase meio-dia deste domingo, no sítio Roncador, e Cícero seguia desde o começo da organização do trajeto, de 6 quilômetros.

Ele foi socorrido às pressas para o Hospital Santo Antônio, no Município, mas já estava sem vida ao chegar no local. O corpo foi levado para o Instituo Médico Legal (IML) em Juazeiro do Norte, para ser necropsiado.

Segundo o capitão do pau da bandeira, Rildo Teles, Cícero era um dos mais experientes carregadores e sempre teve o maior cuidado com o grupo. A vítima trabalhava de porteiro do Hospital São Vicente, no Município, e era muito querido por todos os que compõem a equipe. Há 15 anos ele seguia a tradição, de quase um século.

Ontem, mesmo após o acidente, o cortejo prosseguiu no cumprimento da tarefa de erguer a bandeira do santo padroeiro da cidade. Conforme Rildo, Cícero era uma liderança e tinha o respeito de todos. “Ele não bebeu, e sempre fazia esse trabalho com muita responsabilidade. Acompanhou desde o corte do pau da bandeira. Era muito amigo de todos e está doendo muito para nós essa perda”, lamenta.
Há 13 anos à frente do carregamento do pau da bandeira, que tem cerca de 200 homens em seu trajeto, Rildo afirma que sempre procura ter o maior cuidado com o grupo, principalmente no quesito segurança. Durante este período, disse que não ocorreram acidentes graves, mas em outros momentos pessoas chegaram a se machucar e até quebrar perna. O acidente aconteceu praticamente no final do cortejo, já na rua da Matriz.


Fonte: Diário do Nordeste / Diário Cariri