Vacinação contra gripe é prorrogada até dia 12 de junho


A campanha de vacinação contra a gripe foi prorrogada para até a próxima sexta-feira (12/06), em 103 municípios cearenses que não atingiram a meta de imunização. Segundo a secretaria de saúde do estado, a cobertura da campanha estava em 64,04% do público-alvo nesta sexta-feira (5), data em que a campanha deveria ter sido encerrada. Segundo levantamento do Ministério da Saúde, o Ceará está entre os estados com menor índice de cobertura vacinal contra a gripe.

Ainda de acordo com a secretaria de saúde, a cobertura do público-alvo no estado até sexta-feira (5) foi de 61,32% das crianças de 6 meses a menos de 5 anos, 61,72% dos trabalhadores de saúde, 63,25,% das gestantes, 77,68% das mulheres com até 45 dias pós-parto, 62,53% da população indígena e 65,80% dos idosos a partir dos 60 anos. Para o cumprimento da meta de cobertura, ainda precisam ser vacinadas 281.399 pessoas nos municípios que ainda não atingiram a meta. No Ceará, a meta da campanha é imunizar no mínimo 80% da população-alvo de 1.762.872 pessoas.

A vacina é gratuita e pode ser feita em qualquer posto de saúde. Na capital, 92 unidades disponibilizam as doses. Durante a campanha, são oferecidas as vacinas Influenza Trivalente, que protege contra Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B (sazonal), pneumococo 23 valente para proteger pessoas institucionalizadas e acamadas contra doenças invasivas, e Hepatite B, para intensificação na faixa etária até 49 anos.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório e possui elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A gripe comum, como é conhecida, pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção.


Ceará Agora