Sobrevivente de estupro coletivo conta que amiga foi presa em cacimba para se afogar

Luciana foi encontrada em cisterna. (Foto: Whatsapp/Tribuna do Ceará)
O primeiro depoimento da adolescente que sobreviveu ao estupro coletivo registrado em Capistrano, a 100 km de Fortaleza, ilustrou o cenário violento que chocou a cidade cearense. Segundo relato da jovem de 16 anos, sua amiga Luciana Nogueira Brito, de 17 anos, foi presa na cacimba cheia de água, após ser violentada e espancada com paus e tijolos.

“Eles mandaram ela entrar, e ela entrou”, revelou a jovem, ressaltando que depois os cinco rapazes envolvidos fecharam a cisterna com uma tampa de cimento, enquanto ela se afogava com o nível da água acima da cabeça.

O crime aconteceu durante a noite da última quarta-feira (1), em um matagal da cidade. A outra garota estuprada testemunhou todo o crime, ficou ferida e conseguiu fugir para o hospital da cidade.

“Ela pedia para não matar ela (sic). Que podia levar o celular, levar tudo, mas que deixasse ela viver. Eu pedi para não matarem ela, mas não sei por que me deixaram viver”, relata a jovem.

A sobrevivente informa que, na abordagem, dois dos homens estavam armados, um com uma faca e outro com uma revólver. A jovem disse ainda que as duas tentaram fugir, mas foram surpreendidas com as pancadas de paus na cabeça, sendo depois amarradas. “Depois começou a judiar de nós (sic). Ele fez sexo com a menina lá, e me deixou toda amarrada dentro do mato, sem roupa”.

A Polícia Militar do Ceará prendeu os cinco suspeitos na noite desta quinta-feira (2). Entre eles estão Sebastião Pinto de Almeida, de 27 anos, e John Lenon dos Santos, de 20 anos.Os outros três são adolescentes com 14, 15 e 16 anos. Todos são moradores de Capistrano. Os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia Regional de Baturité, onde ficarão à disposição da Justiça.



Fonte: Tribuna do Ceará