BONDINHO DE UBAJARA ESTÁ QUEBRADO HÁ 5 MESES

Há cinco meses, um dos equipamentos de turismo mais famosos do Ceará, o Bondinho de Ubajara, não funciona. 
Há cinco meses, um dos equipamentos de turismo mais famosos do Ceará, o Bondinho de Ubajara, não funciona. Com a justificativa de necessitar de "troca dos cabos", a indisponibilidade do passeio em meio à mata, grutas e cachoeiras prejudica a economia local e frustra a expectativa de quem vem de fora do Estado. Sem fornecer detalhes, a Secretaria do Turismo do Ceará (Setur) afirma que um projeto de modernização está sendo orçado e a expectativa é de que o bondinho volte a funcionar até o fim deste ano. 

"A gente ouviu falar até que os cabos novos já chegaram, mas uma briga política não deixaria o conserto andar. Essa quebra, funciona e quebra de novo, é rotineiro", afirmou a proprietária, há quatro anos, de uma pousada em Ubajara, Otília Gomes. Sem o bondinho, o jeito é fazer outros roteiros para não perder o turista.

Programações nos municípios de São Benedito, Tianguá, Viçosa e Carnaubal são indicadas. "Nas férias, a gente teve sorte porque nossas cachoeiras estão cheias", contou Otília. Em setembro, uma convenção do comércio varejista do Estado será realizada na região, com público estimado de mil lojistas. "E o bondinho continuará fechado", lamentou a comerciante.

Turista frustrado
"Confesso que meu interesse era o bondinho, visitar as grutas e ter a vista panorâmica. E em nenhum site sobre a cidade avisava que ele não estava funcionando", disse o aeronauta Francisco de Assis Reis Ribeiro, 38, piauiense. Conforme ele, guias locais até ofereceram outro passeio para chegar às grutas, mas além de custar mais caro, seriam cerca de 6 km a pé, condição desfavorável para os filhos de 10 e 14 anos.

"Acabamos indo conhecer outras cidades. Foi bom, o fim de semana foi proveitoso, mas vamos tentar voltar no fim do ano, quando dizem que vão ajeitar o bondinho. Queremos muito ver as grutas", afirmou Francisco.

Através de nota, a Setur afirmou que entende os prejuízos da paralisação e ressaltou que o equipamento foi fechado por motivo de segurança. "Foi feito um estudo e está sendo orçado um projeto de modernização do equipamento, que voltará a funcionar ao fim da reforma. As obras começam logo que o projeto for concluído.  A expectativa da Setur é que tudo esteja pronto até o fim do ano", transcreve a nota.



Fonte: O POVO