FORTALEZA-CE: Filho casa em hospital para ter presença da mãe, em estado terminal

"Resolvemos antecipar a data do casamento porque sou o único homem da família", diz noivo (Foto: Governo do Estado/Divulgação)
Para alegrar a mãe, diagnosticada com câncer terminal e internada em um hospital da rede pública de Fortaleza, um jovem resolveu se casar na própria unidade de saúde. O casamento de Francisco Dejeane dos Santos, o filho, e de Priscila Martins ocorreu na manhã desta terça-feira (1º), no Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara.

“Resolvemos antecipar a data do casamento porque sou o único homem da família. É o sonho da minha mãe me ver casando. Estou fazendo o possível para estar ao lado dela nesse momento tão difícil”, diz o noivo. O casal está junto há 3 anos e meio e estava de casamento marcado para o próximo mês.A mãe é Raimunda Queiroz dos Santos, de 68 anos, hospitalizada há 21 dias. A paciente respira com a ajuda de aparelhos, teve uma trombose na perna esquerda, e os rins pararam de funcionar.

“A gente sempre quis que ela estivesse presente. A doença agravou muito rapidamente. Então a gente viu uma possibilidade de ela estar conosco. Tínhamos marcado o casamento para o mês que vem, mas tivemos que antecipar por conta do seu estado de saúde”, explica a noiva Priscila Martins. Durante a cerimônia, a paciente interagiu, abriu os olhos e conseguiu por alguns instantes acompanhar a cerimônia, dizem os médicos.

A cerimônia contou com a presença de familiares, de um casal de padrinhos e da médica que cuida de dona Raimunda. “Fiquei emocionada quando soube que o Francisco Dejeane ia casar aqui no hospital. Como a mãe dele está muito grave, eu o apoiei, falei com a assistente social e agilizamos tudo para o casamento dar certo”, explica a médica Caroline de Alencar.

A celebrante do evento, a juíza de paz Jaqueline Montenegro, diz que esta foi a primeira vez que celebrou de um casamento em hospital. “Como esse casal já havia encaminhado a declaração antecipada de casados no cartório, decidimos realizar a cerimônia no hospital também devido às circunstâncias”, diz.


*Do G1 CE