Últimas Noticias

28 de setembro de 2015

PREFEITA OSTENTAÇÃO: Após 39 dias, Lidiane Leite se entrega à PF

Lidiane teve a prisão decretada durante Operação da PF
Lidiane Leite, ex-prefeita de Bom Jardim (MA), entregou-se nesta segunda-feira, 28, à Polícia Federal, em São Luís (MA). Ela já estava foragida há 39 dias, desde que teve sua prisão decretada pela Operação Éden, que investigava desvios na educação do município.

Segundo o portal G1, Lidiane compareceu à superintendência da PF acompanhada por três advogados ás 13hs. Ela entrou pelos fundos para não chamar atenção. A expectativa é que ela seja ouvida pelos policiais e, na sequência, encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito. Após os procedimentos, ela deve ficar no quartel do Corpo de Bombeiros do Maranhão, onde permanecerá à disposição da Justiça.

De acordo com os policiais federais, há indícios de irregularidades em contratos e transferências referentes à merenda escolar e reformas de escolas. Um desses indícios são transferências da conta da Prefeitura para a conta pessoal de Lidiane. As movimentações, cada uma de cerca de R$1 mil, chegavam à R$40 mil por ano.

OSTENTAÇÃO

Lidiane, que tem apenas 25 anos, costumava ostentar nas redes sociais uma rotina de viagens, roupas caras e passeios de luxo, o que lhe rendeu o apelido de "Prefeita Ostentação". Na internet afirmou que "eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem. Beijinho no ombro pros recalcados". Seu município, por outro lado, ocupa do a segunda pior posição para se viver no Vale do Pindaré, composto por 22 outras localidades.

A prefeita chegou ao posto quase que por acidente, após seu namorado, Beto Rocha, ter sua candidatura impugnada pela Justiça. Ela acabou assumindo a cabeça de chapa e foi eleita com 50,2% dos votos válidos.

No dia 5 deste mês, a Câmara Municipal deu posse a Malrinete Gralhada (PMDB), vice-prefeita, cassando o mandato de Lidiane. Os vereadores concluíram que a prefeita havia deixado a cidade por mais de quinze dias sem a autorização dos vereadores.


Redação O POVO Online