Últimas Noticias

Pesquise no Blog

Em qual desses nomes você NÃO votaria de jeito nenhum?

9 de novembro de 2015

Atraso na distribuição de gasolina afeta estoque de combustíveis no Interior

Motoristas fazem fila em posto de Morada Nova
A irregularidade na distribuição de gasolina, inicialmente, para os postos bandeira BR Petrobras, afeta o estoque de combustível em cidades do Interior do Ceará. Desde o fim de semana que falta gasolina no Posto BR Cedro, na região Centro-Sul do Ceará, e em vários postos do município de Morada Nova, no Vale do Jaguaribe. Desde o sábado à noite consumidores lotaram os postos.

No Posto BR Cedro, a expectativa é que o abastecimento seja normalizado nesta terça-feira (10). “A greve dos petroleiros afetou a distribuição e há escassez de gasolina na base de distribuição em Fortaleza e no Crato”, disse o empresário, Manoel Rodrigues. “Quem tem estoque está trabalhando com o mínimo para atender os clientes”. Na cidade de Cedro, o preço do litro da gasolina é vendido por R$ 3,75.

No sábado à noite, o comerciário Luís Lima foi um dos que temeram a falta de gasolina, em Cedro, e correu para abastecer a moto. “Ia para o sítio no domingo e fiquei com medo de faltar gasolina”, contou. “Era esse o boato e houve um verdadeiro corre-corre”. O produtor rural, Francisco Oliveira também preferiu assegurar o abastecimento da camionete. “A gente depende do carro para o transporte de carga”, disse. O mototaxista, Carlos Bezerra, enfrentou fila e encheu o tanque ainda no sábado à noite. “Queria assegurar o atendimento aos clientes no fim de semana”, justificou.

A notícia tem se espalhado pelas redes sociais, com a veiculação de fotos de filas em postos de gasolina, o que tem gerado apreensão na população de várias cidades do Estado. O morador da cidade de Catarina, no Sertão dos Inhamuns, Clairton Pereira de Oliveira, disse que abasteceu seu veículo após os vários comentários de possível falta de combustíveis. "Não quero ser pego de surpresa, então já resolvi me antecipar", disse.

Segundo informou o assessor de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Ceará (Sindipostos), Antônio José Costa, o problema é pontual e se dá devido a um atraso na entrega do produto. Ainda de acordo com ele, não há previsão de normalização.



Fonte: Diário do Nordeste