MICROCEFALIA: Número de casos notificados cresce 60%


Mais 15 casos de microcefalia estão em investigação no Ceará. O novo número foi divulgado na noite de ontem, 4, em boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Fortaleza lidera a incidência, com 12 casos em investigação. Houve crescimento de 60% no número de casos notificados entre 28 de novembro e 4 de dezembro. Antes, a pasta havia divulgado um total de 25 recém-nascidos possivelmente acometidos pela doença.

Houve registros em outros 19 municípios cearenses. Em Tejuçuoca aconteceu o único caso já confirmado - um bebê veio a óbito. A microcefalia é uma condição rara em que a criança nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. Exames feitos no recém-nascido cearense confirmaram a relação da doença com o Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

O Zika foi identificado no País em maio, no Nordeste, após a ocorrência de uma “doença misteriosa” cujo principal sintoma eram manchas vermelhas no corpo. Até então, a doença era considerada uma infecção mais branda e menos prolongada que a dengue, também transmitida pelo Aedes aegypti.

Também houve notificações da doença nos municípios de Aquiraz, Banabuiú, Barbalha, Caucaia, Crato, Cruz, Ipaumirim, Itapajé, Jardim, Jijoca de Jericoacoara, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Mauriti, Missão Velha, Mucambo, Poranga, Quixeré e São Gonçalo do Amarante.

A investigação dos casos está sendo realizada pelo Ministério da Saúde (MS) de forma integrada com as secretarias estaduais e municipais de saúde, com o apoio de instituições nacionais e internacionais. Comitês de especialistas apoiarão o MS nas análises epidemiológicas e laboratorial, bem como no acompanhamento dos casos.


O Povo Online