ALERTA: Fiocruz confirma presença do vírus zika em amostras de saliva e urina

Vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti foi encontrado em saliva e urina em sua forma ativa ( Foto: Venilton Kuchler/ANPR )
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) acaba de divulgar, em coletiva realizada no Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira, 5, que constatou a presença de vírus zika, com potencial de provocar infecção, em amostras de saliva e de urina. Segundo a entidade, agora, essas novas formas de transmissão serão mais estudadas.

"Essa comprovação tem um significado muito grande porque, até então, todas as evidências não significavam capacidade de infecção, muda o patamar e a forma que fazemos as pesquisa", disse o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha.

Em entrevista à imprensa, a Fiocruz disse que a evidência de transmissão pelas excreções "sugere a necessidade de investigar a relevância de transmissão via oral".

Até então, a única via de transmissão do vírus, confirmada por autoridades sanitárias, é pela picada do mosquito Aedes aegypit.

A hipótese já havia sido admitida pelo ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva. Na última segunda-feira, 1º, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou situação de emergência em saúde pública de interesse internacional em razão do aumento de casos de infecção pelo zika.

No Brasil, há 3.448 casos suspeitos sendo investigado pelo Ministério da Saúde.


*Agência Brasil