50 mulheres assassinadas no Ceará em 2016

Uma mulher foi executada, a tiros, na manhã de ontem, na BR-116, Km 15, no Eusébio
Subiu para 50 o número de mulheres assassinadas no Ceará em apenas dois meses e 10 dias de 20165. A mais recente vítima da violência foi uma dona de casa, executada, a tiros, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

O crime ocorreu no começo da manhã desta quarta-feira (9) na altura do quilômetro 15 da BR-116, no Município do Eusébio. A vítima – ainda não identificada - trafegava em sua motocicleta quando foi atacada por dois homens que estavam em outro veículo do mesmo tipo.

Tiros foram disparados e a mulher teve morte instantânea. Policiais rodoviários federais foram ao local do crime e acionaram a Polícia Estadual. Uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e outra da Delegacia Metropolitana do Eusébio (DME) iniciaram investigações ainda no local do assassinato em busca de pistas que levem à elucidação com caso, com a identificação dos autores do assassinato.

Outros casos

Um jovem de 18 anos foi morto, a tiros, também na região Metropolitana de Fortaleza nas últimas 48 horas. O crime ocorreu no bairro Banguê, periferia da cidade de Pacajus (49Km da Capital). Elton Kennedy Barbosa, 18 anos, foi executado com cerca de 10 tiros quando se encontrava no interior de um veículo Del Rey nas proximidades de um campo de futebol.

Na cidade de Morada Nova (a 163Km de Fortaleza), a Polícia local registrou dois casos de homicídios e outro de achado de cadáver com sinais de violência. O primeiro crime aconteceu na localidade de Patos, distrito de São João do Aruaru, quando Victor Roberto da Silva, 20 anos, conhecido por “Vitinho”, foi morto a tiros.

Em seguida, no bairro Prourb, o adolescente identificado como Matheus L.N.M, de 15 anos, também acabou sendo assassinado, a tiros, por desconhecidos.

O terceiro caso ocorreu ainda de manhã, quando populares encontraram o corpo de um homem enterrado em uma cova rasa no leito seco do Rio Banabuiú. A vítima apresentava sinais de violência e não foi identificada.



Fonte: Blog do Fernando Ribeiro