DECISÃO DA CÂMARA: Prefeito de Baturité é cassado por 11 votos a 2

Vereadores votaram a favor da cassação em sessão nesta segunda ( Foto: Reprodução/Facebook )

O prefeito do município de Baturité, João Bosco Pinto Saraiva (Pros), conhecido como “Bosco Cigano”, teve seu mandato cassado após sessão extraordinária realizada pela Câmara Municipal na noite desta segunda-feira (28). Dos 13 vereadores da cidade, 11 votaram a favor e 2 contra a cassação.

>Veja a sessão

Com a decisão dos vereadores, João Bosco deve ter o mandato extinto e a vice-prefeitaCristiane Braga (PT) deve assumir a prefeitura de Baturité. Segundo a ata da Câmara Municipal, os parlamentares concordaram, ao votar, que o então prefeito cometeu infração política e administrativa.

Segundo o vereador Nilton Guedes Filho (Niltinho), presidente da comissão que levou ao afastamento do prefeito, a decisão da câmara se deu pelo gasto de cerca de R$ 2,2 milhões obtidos do governo federal para a construção de 8 salas de aula numa escola do município, obra que nunca foi realizada, segundo Niltinho.

Ainda de acordo com o vereador, o prefeito afastado culpava a própria equipe pelas falhas administrativas. "Ele tinha uma tese absursda e culpava todo o secretariado. Ele culpou até o cunhado, que é o secretário de finanças, para pagar a obra que não existiu", disse.
“Bosco Cigano” já havia sido afastado do mandato em outras ocasiões. No ano passado, aJustiça Estadual determinou que o gestor se afastasse da prefeitura por 180 dias. 

Dentre as suspeitas na ocasião, estavam irregularidades na licitação feita para contratação de empresa para realizar a coleta de lixo e supostas cobranças indevidas de taxas aos feirantes da cidade.

A reportagem não conseguiu entrar em contato com João Bosco.



Fonte: Diário do Nordeste