DECISÃO: Câmara decide pela abertura do processo de impeachment de Dilma

Mais de dois terços dos deputados da Câmara dizem "sim" e segue processo que pode afastar a petista Dilma Rousseff da Presidência. ( Agência Câmara )
Às 23h7min deste domingo (17), a Câmara dos Deputados atingiu os 342 votos necessários para a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A votação teve início às 14h. Por volta das 22h, o líder do governo José Guimarães já admitia a derrota do governo na Casa. Com a decisão, o processo de impedimento será encaminhado para o Senado.

Às 23h47, foi concluída a votação com: 367 votos "sim", 137 votos "não, 7 abstenções e dois ausentes - entre eles o cearense Aníbal Gomes (PMDB). No total de 6 horas de votações.

Após afastada e com vice assumindo, o julgamento no plenário do Senado é comandado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal e exige votos de dois terços para condenação, ou seja, deve ter apoio de 54 dos 81 senadores.

Em caso de absolvição, a presidente reassume o mandato imediatamente e, em caso de condenação, Dilma será automaticamente destituída e substituída por Temer. No caso, a petista ficará 8 anos sem poder exercer cargos públicos.

Diante do resultado na Câmara, o Senado deverá:

Criar uma comissão e terá 10 dias para emitir um parecer;
Após o parecer, será feita uma votação no plenário do Senado que poderá extinguir ou instaurar o processo;
É necessário 41 votos dos 81 parlamentares disponíveis para impeachment seguir;
Se aprovado no Senado, a presidente deve ser afastada do cargo por 180 dias;
Com isso, o vice-presidente Michel Temer assume o comando do País.



Diário do Nordeste