POSTURA: Maioria da bancada cearense é contra impeachment

Dos 22 deputados cearenses no exercício do mandato, 11 votaram não ao impeachment, 9 a favor, uma parlamentar se absteve e um não compareceu à sessão por motivo de doença
Durante sessão na Câmara dos Deputados, a bancada cearense revelou estar dividida ao votar pela continuidade do mandato da presidente Dilma Rousseff (PT). Dos 22 deputados cearenses no exercício do mandato, 11 votaram não ao impeachment, 9 a favor, uma parlamentar se absteve e um não compareceu à sessão plenária.

Embora o deputado Adail Carneiro (PP) já tivesse anunciado que votaria contra o impedimento da presidente, decidiu votou a favor do impeachment. Durante o voto, ele pediu desculpas ao ex-presidente Lula, à presidente Dilma e ao ex-ministro Cid Gomes. Conforme o parlamentar, ele não poderia deixar de atender aos pedidos da população. O deputado Cabo Sabino também votou pelo afastamento de Dilma. "Tchau querida, não precisa voltar. Eu voto sim", ironizou.

. Blog do Edison Silva: 2 cearenses mudaram seus votos

Os parlamentares Danilo Forte, Genecias Noronha, Moses Rodrigues, Moroni Torgan, Raimundo Gomes de Matos, Ronaldo Martins e Vitor Valim também manifestaram posição contra a continuidade do mandato de Dilma.

Já o deputado Ariosto Holanda votou pela continuidade do mandato da presidente, conforme já havia anunciado. O deputado Arnon Bezerra seguiu o mesmo caminho. "Respeitando a decisão do povo brasileiro, meu voto é não", declarou, na oportunidade. Também votaram "não" os deputados Chico Lopes, Domingos Neto, José Airton, Guimarães, Luizianne Lins, Leônidas Cristino, Odorico Monteiro (PROS) e Vicente Arruda.

Para o deputado Domingos Neto, a solução para a crise brasileira só vai existir com a manutenção da democracia. "Sou contra eleições indiretas, a favor da democracia e voto não ao impedimento", justificou.

A deputada Gorete Pereira resolveu se abster da votação e antes se declarava "não". "Pela Constituição Brasileira, contra a corrupção, queremos uma eleição nova. Tenho que me abster porque não posso acreditar nem em uma chapa nem na outra", explicou.

O deputado cearense Aníbal Gomes não compareceu à sessão para votação. O parlamentar não esteve presente porque precisou passar por uma cirurgia e estava na UTI.


Diário do Nordeste