BOLETIM: Ceará registra quarta morte em consequência da gripe H1N1

Na última sexta-feira (29), os postos, em Fortaleza, ficaram lotados para vacinação ( foto: Natinho Rodrigues)
Segundo o balanço divulgado nesta terça-feira (3), pelo Ministério da Saúde, mais uma morte devido a gripe H1N1, foi registrada no Ceará. Este é o quarto óbito ocasionado pela doença. Só este ano, 14 casos já foram confirmados pelo Estado. No Nordeste, apenas Bahia com nove óbitos e Pernambuco com cinco superam os números do Ceará.

Em parâmetros nacionais, já foram registrados 1880 casos de influenzas, sendo 1571 casos de H1N1 com 290 mortes. A maioria das ocorrências foram registradas na região Sudeste do País, o estado que mais sofre é o de São Paulo com 988 casos, totalizando 149 mortes.

Vacinação

No Ceará, 1.776.416 pessoas fazem parte da população prioritária de vacinação. Até agora apenas 412.908 pessoas foram vacinadas, o que representa apenas 23,2% do público-alvo. Com esses números, até o momento, o Estado supera apenas o Maranhão, na região Nordeste, que vacinou somente 21,8% da sua população em foco.

“Em todo o País, 22 estados da Federação puderam adiantar suas vacinações, o que permitiu a alta cobertura vacinal alcançada até este momento. Mas é importante deixar claro que a campanha começou neste sábado, 30 de abril, e continua até o dia 20 de maio, não havendo necessidade de correria aos postos de saúde porque tem vacina para todos que fazem parte do público-alvo”, explicou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antônio Nardi, reforçando que, até o próximo dia 13 de maio, 100% das doses da vacina serão entregues aos estados brasileiros.

Até a próxima sexta-feira (6), o Ceará terá recebido 87% das doses que lhe serão enviadas pelo Ministério da Saúde. Segundo o balanço, três estados e mais o Distrito Federal alcançaram as maiores coberturas vacinais até o momento: Amapá (78,11%), DF (64,7%), Goiás (63,5%) e São Paulo (61,6%). Este desempenho foi possível porque o Ministério da Saúde iniciou o envio das vacinas no dia 1º de abril, o que possibilitou a antecipação da vacinação em vários estados.


Diário do Nordeste