Camilo reaparece no Abolição após rebeliões nos presídios e vai pedir a vinda da Força Nacional de Segurança

Durante a crime no Sistema Penal, Camilo Santana desapareceu e se complicou
Após um fim de semana desaparecido, o governador do Estado Camilo Santana (PT) reapareceu, hoje, no Palácio da Abolição e chamou para uma reunião de emergência os secretários de Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira; e da Justiça e Cidadania, Hélio leitão. Em pauta, a crise que deixou completamente sem controle o Sistema Penitenciário, com mais de 30 assassinatos de detentos e a destruição completa de, pelo menos, seis unidades. Camilo vai pedir a ajuda da Força Nacional de Segurança (FNS).

A reunião está tratando de uma provável saída de Hélio Leitão e Delci Teixeira de seus cargos, além da requisição da FNS, como o cearanews7.com.br anunciou, antecipadamente, e com exclusividade, no último sábado (21).

O colapso do sistema provocou uma onda de mortes violentas e de total depredação nas Casas de Privação Provisória da Liberdade (CPPLs), 1,2,3 e 4, todas localizadas no Município de Itaitinga; e no Presídio do Carrapicho, em Caucaia; além do Presídio Feminino, em Aquiraz.

Não se sabe, ao certo, o número de mortos nas rebeliões. Mas, pela estimativa das próprias autoridades, é possível que chegue a mais de 30, isso porque somente no sábado ocorreram oito assassinatos. No domingo, foram mais de 15 e muitos corpos ainda estão dentro dos presídios.

As equipes da Perícia e dos rabecões da Perícia Forense do Estado (Pefoce) aguardam liberação para entrar nos presídios rebelados, mas isto só acontecerá quando houver a devida segurança, já que todos os internos estão soltos dentro das cadeias.

Sem controle

O governador decidiu tomar medidas drásticas após dois dias sem aparecer, mesmo tendo sua assessoria cancelado a presença dele em alguns eventos políticos e administrativos. Percebendo que será difícil uma retomada do controle do Sistema Penal, Camilo Santana agora deve, mesmo a contra gosto, requisitar de Brasília a presença da Força Nacional de Segurança para tal missão, já que a PM não vem tendo êxito neste trabalho.

Em entrevista à TV Verdes Mares, na noite do último sábado, logo após uma reunião em que foi decido que o Governo atenderá às reivindicações dos agentes, o secretário Hélio Leitão culpou a categoria por ter causado as rebeliões. Segundo ele, os grevistas impediram a tropa da PM de assumir o controle das cadeias. A visita foi suspensa e este fato desencadeou a rebelião simultânea em seis presídios.

Por FERNANDO RIBEIRO

Veja imagens das rebeliões: