Últimas Noticias

Pesquise no Blog

Em qual desses nomes você NÃO votaria de jeito nenhum?

25 de junho de 2016

Adolescente é detido no Ceará por criticar policiais em rede social



Um adolescente de 17 anos foi detido ao criticar policiais de Itatira, no interior do Ceará, e levado a prestar depoimento na delegacia. De acordo com a Promotoria Pública da cidade, o garoto fez um "desabafo" no Facebook citando aumento no número de assaltos no município e "inoperância" dos policiais para conter o avanço da violência.

Ainda de acordo com a promotoria, a mensagem foi publicada na rede social na quarta-feira (22) e apagada em seguida. Na quinta-feira (23), os policiais foram à residência do adolescente, que foi conduzido à Delegacia Regional de Canindé, cidade vizinha, acompanhado do Conselho Tutelar.

Segundo a Polícia Civil de Canindé, o garoto prestou depoimento por cerca de duas horas à delegada Giselle Martins e foi registrado um termo circunstanciado de ocorrência por desacato.

"Ele postou um desabafo indignado com assaltos e disse que os policiais não fazem nada e acabam é ajudando os bandidos. Por ser uma infração de menor potencialidade, não faz sentido deter o adolescente", explica o policial Nilton Araújo.

O caso será encaminhado à Justiça. Se o juiz entender que houve infração, o adolescente pode ser obrigado a prestar serviços em repartições públicas ou garantir o repasse de cestas básicas.

Repercussão

Após ser detido, o adolescente voltou a usar a rede social para criticar o que considerou excesso por parte dos policiais. "Viva a ditadura, onde você não tem direito a se expressar!", comentou.

Familiares e amigos do garoto também comentaram em defesa do adolescente. Só direi a verdade, o que foi feito com meu filho hoje não irá ficar assim. Pois irei atrás dos direitos da criança e do adolescente, custe o que custar, mas mexeram com quem não deveria mexer", disse o pai do garoto, Rinaldo Cunha.

A mensagem do menino detido foi compartilhada por outras pessoas na rede social com mensagens críticas à atuação da polícia. A Polícia Civil de Canindé defende que os policiais atuaram em cumprimento de indícios de uma infração por desacato.



G1