Últimas Noticias

13 de abril de 2018

Com 255 mm, Icapuí tem maior chuva em 30 anos

(Foto: VC Repórter) 
 13.04.2018

O município de Icapuí, no Litoral Leste do Estado, registrou 255 milímetros - a maior chuva do Ceará neste ano. Essa também foi a maior chuva do município em 30 anos.

Além de estradas alagadas, a cidade registrou erosão de córregos e residências ficaram rodeadas pelas águas, feito ilhas de concreto. Anéis de cimento em sistema de drenagem foram danificados pela enxurrada.

A Prefeitura Municipal diz que ainda aguarda a presença da Defesa Civil do Estado.

Segundo a coordenação municipal da Defesa Civil, os estragos só não foram maiores porque, desde dezembro, foi realizado um trabalho preventivo nas áreas mais vulneráveis.

Histórico de chuvas na cidade

A maior chuva do Ceará neste ano é também a maior de Icapuí desde 1988 - a segunda maior precipitação do município deu-se em 2017: com 223,6 mm.

“Estamos fazendo um acompanhamento do impacto das chuvas. Visitamos algumas casas em que entrou água, mas a situação foi controlada. Temos, inclusive, cadastro para o aluguel social de eventuais famílias que sejam desalojadas, mas até o momento não houve nenhum desabrigado ou desalojado”, explica Daniel José, coordenador municipal da Defesa Civil.

O trabalho preventivo consistiu no mapeamento das áreas de risco, bem como a previsão de população impactada e em quais lugares, de modo a evitar maiores danos ou dar resolução aos estragos correntes.

Áreas atingidas

As águas caíram com força tanto no Centro como em localidades mais afastadas como Retiro Grande e Quitérias, onde famílias tiveram trabalho dobrado para retirar água de suas casas.

Uma equipe com agentes da Defesa Civil Municipal, Secretaria de Infraestrutura e Secretaria de Assistência Social está de plantão.

A Prefeitura Municipal espera que uma comitiva da Defesa Civil do Estado possa visitar Icapuí para acompanhar os danos.

“Estamos dia e noite rodando por toda a cidade para conferir a situação de perto e tomar as providências, felizmente os danos sociais são menores, graças ao trabalho preventivo desde o fim do ano passado, isso reduziu o risco de famílias desabrigadas”, afirma o prefeito Lacerda Filho.


Diário do Nordeste